Nossas Memórias

Tatuí do XI de Agosto

O Clube XI de Agosto em 57 e 58 conquistou o bicampeonato amador do Estado de São Paulo, que nessa ocasião não era pouca coisa. O feito do time da égua vermelha foi tão grande que lhe valeu uma menção até mesmo no hino de Tatuí.

No estribilho do hino, vem a lembrança de “Tatuí do XI de Agosto”. Essa menção advém das glórias do time tatuiano. O futebol continuava a ser o carro-chefe da Associação Atlética XI de Agosto. Nos anos de 1941, 1942 e 1943, o XI de Agosto conquistou os campeonatos municipais, sagrando-se tricampeão do Campeonato Amador Federado da Litafu (Liga Tatuiana de Futebol).

Durante mais de dez anos, as atividades limitavam-se aos jogos de futebol e participação em campeonatos locais e regionais. No ano de 1953, o XI de Agosto participou do campeonato da 2ª Divisão do Futebol do Estado de São Paulo, terminando em sexto lugar. Mas foi nos anos de 1957 e 1958 que o XI de Agosto obteve sua mais alta glória no futebol do interior paulista. A equipe agostina sagrou-se bicampeã paulista do Campeonato Amador Estadual organizado pela FPF (Federação Paulista de Futebol).

Utilizando uniformes nas cores vermelha e preta (ou camisa branca e calção vermelho), o XI de Agosto fez bonito em duas finais consecutivas; O XI de Agosto venceu o Comercial de Araras na final do Campeonato Amador do Interior de 1957 por 3 a 2.

A final do campeonato foi realizada em 12 de janeiro de 1958, na cidade de Piracicaba. Registros da época indicam que a partida foi “de ótima qualidade e os agostinos dominaram o famoso adversário conseguindo logo nos primeiros 30 minutos o resultado de 3 a 0”. Ainda conforme os registros, os defensores do Comercial diminuíram numa cobrança de pênalti, mas a primeira etapa terminou em 3 a 1. No segundo tempo, aos 43 minutos, o Comercial assinalou o segundo gol, também em cobrança de pênalti. Placar final: 3 a 2, com gols marcados por Paias e Sato.

Os heróis do Campeonato de 1957 foram: Aldo, Bia, Nicola, Sato, Osmar, Ponce, Paias, Kaquá, Paulinho, Renato, Eurides, Alfeu, Neto e Milton. Notícias indicam que mais de mil torcedores tatuianos foram até Piracicaba para incentivar os jogadores e conferir a decisão.

No ano seguinte, a conquista do bicampeonato veio sobre o conceituado time do Itatiba Esporte Clube. O placar do Campeonato do Interior de 1958, nem parecia de final: 7 a 1, tamanha a superioridade da equipe tatuiana. Em 13 partidas, o XI de Agosto conquistou oito vitórias, dois empates e três derrotas. Marcou 54 gols e sofreu 17, tendo Nicola, com 20 gols, como o artilheiro da competição.

A equipe presidida por PG Meirelles e tendo Oswaldo Avalone como técnico, atuou com Bia, Alfeu, Eurides, Ponce, Sato, Paias, Osmar, Neto, Nicola, Paulinho, Aldo Jonas, Neco, Hioti, Tião, Carvalhinho e Paraguaio. Essas duas importantes conquistas colocaram o XI de Agosto na história do futebol estadual. Até hoje nenhuma equipe local conseguiu repetir o feito dos agostinos.

1943 – Arquibancada do XI de Agosto

1950 – Carnaval – Olívio Junqueira e outros

1950 – Entrada do Estádio

1950 – Homenagem aos fundadores

1957 – Torneio Início Campeonato Municipal

1962 – Churrasco no XI de Agosto

1962 – Estádio do XI de Agosto

1962 – Inauguração da Piscina

1965 – Construção do Ginásio 1

1978 – 1º Ano na 3ª Divisão

1982 – Campeão de Futebol de Salão

Samba do Bicampeonato gravado por Jarbas Sobral Neto (Jarbinhas)

Hino do Bicampeonato

Ai, ai, ai! Onze de Agosto
Agora que mostrou o seu valor,
Para alegria de Tatuí
Onze de Agosto bicampeão do interior.

Ai, ai, ai! Onze de Agosto
Agora que mostrou o seu valor,
Para alegria de Tatuí
Onze de Agosto bicampeão do interior.

Seus jogadores,
Que lutaram com decisão.
Fizeram tudo
E conseguiram ser bicampeão.

Seus diretores,
Foram a luta sem trégua.
E para nossos adversários,
Não tá morta a égua.